O sequestro do Orkut

Um comentário aqui no blog alertou-me para a “invasão de utilizadores brasileiros” a que o Orkut estava sujeito e os sinais que fui encontrando lá e, por exemplo, no artigo dedicado ao Orkut na Wikipedia, deixaram-me, de facto, surpreendido com a demografia da plataforma, por um lado e, por outro, com o comportamento altamente “territorial” dos utilizadores brasileiros.

Quer a “distorção” na demografia, quer o comportamento social destes utilizadores mereceriam um estudo mais aprofundado que, certamente alguém já terá feito, mas, na utilização, traduz-se num desconforto mais ou menos permanente que, no meu caso, se traduz numa espécie de tensão latente, semelhante ao stress sentido por crianças que são maltratadas por rufias de recreio de escola: tentei escrever em inglês numa comunidade que, tecnicamente, tinha escolhido esse idioma e fui gozado e maltratado por um conjunto de utilizadores brasileiros, que, aparentemente são os únicos activos. As minhas tentativas de explicação de que me parecia pouco razoável a invasão de todos os espaços comuns do Orkut pela nossa língua, já que afastaria outros utilizadores, provocou mais reacções de gozo e insulto. O típico comportamento de uma multidão “violenta”.

Como já não sou nenhuma criança, observo com curiosidade este tipo de comportamento “territorial”…

Espero encontrar algumas referências adicionais para perceber melhor a dinâmica que está por trás disto e, quem sabe, compreender a vantagem do Google ao manter a sua associação a esta plataforma.

Em jeito de ilustração, cá fica uma das minhas intervenções que suscitou reacções de gozo e insulto:

Sou novo no Orkut e tenho reparado que há muito conteúdo em português em comunidades que escolheram outras línguas. Acho que é uma enorme falta de respeito para com os utilizadores do Orkut em geral, invadir todos os espaços comunitários com conteúdos em Português, mesmo se a maioria dos utilizadores activos for lusófona.
Até porque qualquer pessoa pode criar criar uma comunidade acerca de qualquer assunto, em Português ou noutra língua.
Se estas regras elementares não forem respeitadas, a única coisa que acontecerá será a crescente invasão do Orkut por pessoas muito parecidas entre si, sendo as pessoas mais educadas ou civilizadas (escolham) obrigadas a procurar ambientes mais amigáveis.
Seria muito estranho se este fenómeno bárbaro ficasse associado a um povo tão amistoso como o Brasileiro. E essa já é a ideia que passa na net: os brasileiros tomaram conta do Orkut e inundaram-no de conteúdo tonto, spam e outras porcarias escritas em português.
Como utilizador lusófono, isso chateia-me.

2 pensamentos em “O sequestro do Orkut

  1. Embora não seja justificação para esse tipo de atitudes, a predominância de brasileiros no orkut tem uma simples razão: durante muito tempo o site estava apenas disponível no Brasil.

  2. Sou brasileiro, e concordo que algumas pessoas tem o comportamento como indicado no teu post. Lamentável, mas não são todos. O fato é que os usuários de outras línguas como o inglês praticamente abandonaram a plataforma e foram usar MySpace ou outros sites de comunidades virtuais. Exceção louvável são os indianos, que continuam usando o serviço e mantêm muitas comunidades em inglês. O que não dá é exigir que em comunidades onde atualmente só existem brasileiros se fale o inglês, mesmo que a idéia original da comunidade tenha sido essa. Comunidades com moderadores e membros ativos de lingua inglesa funcionam normalmente em inglês. O problema é que tais membros e moderadores são cada vez mais raros.

    Discordo do Rob. Nunca ouvi falar que o site tenha estado disponível apenas no Brasil, mesmo por que uso o site há anos e sempre interagi com pessoas de fora do Brasil. Acho que o Rob foi vitma de um boato. O que aconteceu é simplesmente que os brasileiros se identificaram com a plataforma.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>