Volteface

Volteface no caso Maddie McCannA propósito do caso Maddie e da reacção nacional e internacional à autêntica montanha-russa em que todo o caso se transformou já se disse quase tudo. Desde as intervenções mais esotéricas de pseudo-psicólogos capazes de ler uma culpa específica nas caras que aparecem nas televisões, à indignação de quem investiu horas na justa luta por encontrar a criança e se sente traído pelos acontecimentos, aos episódios trágico-cómicos de luta entre órgãos de imprensa  ou as intervenções acabrunhantes de supostos especialistas (sim, estou a pensar no Barra da Costa)…

Esta imagem, no entanto pareceu-me uma boa síntese do estado de espírito comunitário: no café onde vou diariamente, desde o início do caso que estava afixado um apelo para que ajudássemos a encontrar a Maddie, impresso a partir duma notícia do Diário Digital, com uma fotografia da criança inglesa numa folha rosa, com intenção carinhosa e chamativa.

Após o “volteface” recente, sem retirar o apelo, os donos do café acrescentaram uma tira bem ao jeito “jornalismo-choque” do 24 Horas, com a fotografia da mãe e da filha e a “Suspeita da Morte da Própria Filha” como título…

A sobreposição destes dois documentos conta uma história e é um reflexo do estado de espírito dos donos do café que estão alinhados com o estado de espírito geral. O que é interessante é que, se pensarmos bem, apesar de todas as tentativas maniqueístas de alguma imprensa para reduzir um caso deste dramatismo e complexidade a um sistema dual, facilmente descodificável ou traduzido num sistema de Preto-e-Branco, Bem-e-Mal, Certo-e-Errado, parece que resiste um espaço no interior emocional das pessoas que percebe que não há, neste momento, nenhum desfecho capaz de satisfazer o nosso quintessencial desejo de paz de espírito e tranquilidade. E muito menos capaz de satisfazer a voracidade dos lobos mediáticos, por muito diversificada que seja a sua dieta.

1 pensamento em “Volteface

  1. Apenas uma pergunta: essas coisas que se observam por cima do lábio inferior no desenho que pretende copiar a fotografia do autor deste blog são aquilo que parecem: dentinhos de vampiro? Não seria preferível suavizar a dita imagem pondo o autor a tocar qualquer coisa, isto é, mantendo-o ao nível da sua chinela? Luís Granito. Coimbra.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>