Arsélio de Almeida Martins

Pai e Filho: Arsélio Martins, Prémio Nacional do Professor, é meu paiÉ o nome do meu pai, que hoje circulou nos rodapés dos noticiários a propósito do Prémio Nacional do Professor.

É estranho ser filho do primeiro laureado com esta distinção. Como se o facto de toda a gente ficar a saber aquilo que para mim era óbvio há muito— que ele é «um exemplo de cidadania e um mestre no verdadeiro sentido do termo»—  me deixasse “desprotegido” ou “exposto”.

Mas nada do que possa ter sido dito agora, a propósito dos méritos do laureado, será novidade para quem o conhece como pessoa e/ou como professor (que são coisas difíceis de distinguir) e, sendo evidente que os prémios valem o que valem, não deixa de ser reconfortante que, de vez em quando, acertem nas escolhas.

Eu fico com o orgulho próprio de “filho babado” e com o sorriso interior de saber que talvez tenha aprendido com o professor laureado, meu pai, coisas preciosas e únicas… mas suspeito que muita gente partilha dessa sensação e é ela que justifica o próprio prémio. ;)

Mas se passarem por ele, no Lado Esquerdo, ou nas Geometrias, por exemplo, cumprimentem-no como se nada fosse: apesar de tudo, ele é um moço reservado. ;)

9 pensamentos em “Arsélio de Almeida Martins

  1. Os meus sinceros parabéns, ao cidadão, ao pedago, ao moço reservado.
    Não o conheço, mas porque os professores são tão poucas vezes apreciados, transporto para a figura dele a imagem de outros mestres que também me marcaram.

    Que depois do teu pai, outros exemplos se sigam para inspirar o ensino português. Será com bons professores e uma melhor educação que podemos sonhar com um melhor Portugal.

  2. Conhecia o Professor Arsélio de Almeida Martins de “pequenos” textos e “pequenas” notícias. Mas pela profundidade das intervenções de hoje na televisão pública, não me engano ao dizer que fiquei a conhecer um grande Cidadão desde País. Um bem-haja!

  3. Pingback: Quem nos educa? at diário de bordo

  4. Bom dia

    Fui colega e amigo do seu pai nos idos anos de 1969/70 na Faculdade de Ciências do Porto, onde, recém chegado de Lisboa, acompanhava frequentemente com ele e com o Carvalho (cujo paradeiro também desconheço), às vezes também com a Rosa.
    Por várias vezes perguntei a pessoas que estiveram no Porto se tinham o contacto do Arsélio e do Carvalho mas nunca o consegui. E gostava de o rever ou pelo menos falar com ele.
    Se for possível mandar-me por mail o endereço de correio electrónico ou telefones do seu pai agradecia.
    O meu telefone é o XX XXX XX XX. o de casa é o XX XXX XX XX.

    Obrigado
    Fernando Valdez

  5. @Fernando Valdez: tomei a liberdade de passar os seus contactos ao meu pai e editei o seu comentário para não ficar com números de telefone privados expostos desta maneira.

  6. Boa Tarde!

    É com muito orgulho, alegria e saudade que faço este comentário!

    Fui aluna do Prof. Arsélio Martins, no liceu Garcia da Horta, no Porto, no ano em que ele fazia o “estágio para professor de matemática do ensino liceal”! Meu nome era Maria Manuela de Oliveira Machado Carvalho, aluna do 8º ano, turma P!

    Era mais que evidente que a matemática não era o meu forte! Mas dáva-me um grande peso de consciência, como a outros alunos da turma, não gostar da disciplina, pelo grande ser humano e professor que é o seu pai!

    Lembro que, quando a turma tinha “furos”, e sabiamos que coincidia com horários livres do professor Arsélio, iamos ter com ele e jogávamos futebol e ao “trinca centeio, trinca cevada”, todos juntos!

    Todos estes anos, sempre falei deste professor como modelo e exemplo a seguir: quer com amigos, familiares, professores e à minha filha! Impossível cair no esquecimento(!), – aqui discordo da sua autobiografia – é demasiado especial!

    Por coincidência, a minha filha, que tem 10 anos, na quarta – feira, quando a fui buscar no final do dia à escola, está no 5º ano, e não lhe tinha corrido muito bem a aula de matemática, disse-me:

    - Olha mãe, quem me dera ser aluna daquele teu professor de matemática que brincava com os alunos e dava aulas divertidas!

    Com toda esta turbulência, que se vive no ensino, e não só, acho que hoje, sempre e mais do que nunca deveriam ser sorvidas, memorizadas e postas em prática a experiência deste Grande Homem!

    Hoje, sou Gestora e Produtora de Artes! A minha paixão são a Arte na Educação e as questões sociais! Continuo a ter ideais, mesmo com muitas desilusões, mas sou do “revirar” e acredito que sempre é possível a mudança e que ela vem com o crescimento como pessoa!

    Gostaria muito de voltar a ter contacto com o seu pai, até porque gostaria de propor, caso o professor Arsélio goste da ideia, que a Associação de Pais da escola da minha filha o convida-se para uma conferência ou debate! Para além de outros locais em que trabalho!Inclusive para divulgar os seus escritos ( deveriam ser publicados com letra à mão, pois a letra do professor Arsélio é belíssima e inconfundível!(Todos os professores que davam aulas no mesmo dia das aulas de matemática e iam assinar o “livro de ponto” faziam esse comentário!)

    Ps. Nunca esqueci dum conselho que o prof. Arsélio me deu!
    - Manuela, não te metas na politica pois dizes tudo que sentes!Eu ao disse nada! – disse.

    Na época teria 14 anos e acredite, entendi “direitinho”!

    -Professor Arsélio, não sou política!

  7. Fico muito feliz por saber que tem alguem importante com mesmo nome que o meu…e olha q nao e um nome muito comum…

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>