Amigos, amigos, negócios à parte

Reparei recentemente que o Teatro Aveirense tem (voltou a ter?) um cartão para AMIGOS e um programa de vantagens associado. É, em abstracto, uma boa ideia em termos de fidelização de públicos e solidificação de dinâmicas, mas há um ou outro pormenor neste programa que me inquieta.

Eu gosto de pensar que sou um tipo amigável e, sem dúvida que partilho com o Teatro bastantes interesses, o que faria de mim um candidato ideal ao papel de AMIGO, mas não consigo não fazer as contas. Importam-se?
O Teatro pede-nos 55 euros por ano e, em troca dá um desconto de 50% nos bilhetes da programação TA, entre outras regalias, o que parece ser um bom negócio, mas se formos a pensar nisso numa perspectiva economicista (tipo “merceeiro”), só começamos a “ganhar” depois de comprarmos 110 euros de bilhetes*. Considerando que os últimos espectáculos a que fui no TA tinham bilhetes entre os 10 e os 15 euros e, a bem da preguiça, se pensarmos num valor médio de bilhete de 11 euros, isso significa que só ao fim de 10 espectáculos é que os AMIGOS do Teatro saem a ganhar.
Bem sei que aplicar estas lógicas e contas de merceeiro a uma questão séria como esta, parece de mau gosto, mas a vida não está fácil e um tipo tem que fazer contas. Valerá a pena ser AMIGO do TA?

Em jeito de comparação, ser AMIGO de Serralves, que é um programa bastante diferente numa instituição muito mais diversificada, custa 50 euros por ano e há um cartão para Famílias. Os descontos nos espectáculos não são tão generosos, mas o conjunto de regalias é muito interessante. E há outro problema: a programação abrangida pelos descontos no programa de AMIGOS do TA é apenas a programação do Teatro Aveirense. Isso significa que várias das minhas escolhas recentes de espectáculos não estariam abrangidas pelos descontos… bem sei que estou a ser forreta, mas fico mesmo confuso: é que nem sei se houve 10 espectáculos este ano a que eu quisesse ter ido assistir.

Mas até que ponto é que não aderir por motivos “contabilísticos” não é um acto de traição a um amigo?

* – para os mais lentos nas contas, sigam-me: com os 55 euros anuais, temos bilhetes a metade do preço, pelo que precisamos de um valor de 110 euros (2*55) para acumularmos um desconto igual ao investimento inicial

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>