Povera Italia!

A eleição do Berlusconi dá-me vontade de chorar. Mesmo.
E a reacção do Santana Lopes, além de expectável, é patética.

Continuo sem compreender as estranhas dinâmicas políticas italianas, por mais que reviva e recorde as longas conversas a este respeito que tivemos em Parma, durante a concepção de Errare e, antes disso, mesmo em dias de eleição, em Roma, durante a viagem da Orla do Bosque.

Penso nos nossos amigos italianos e imagino a frustração e o cansaço imenso que sentirão. Abraços solidários para eles.

3 pensamentos em “Povera Italia!

  1. Pois, lamento contigo.
    Mas uma coisa é certa: nunca conheci um italiano que “tivesse votado no Berlusconi”. Nunca.
    Vivi em Itália, viajei em Itália, tenho amigos italianos. E nunca, nem das pessoas que conheci per strada, alguma assumiu, sequer em conversa de café, ter votado nele.
    Eppure si muove, e ganha pela terceira vez.
    Não estou a insinuar fraude, o que me parece óbvio é que há 13 milhões que o preferem. E no entanto não o assumem. Isso é que me parece extraordinário.
    Que há um mistério, há, é isso que falta entender.

  2. Também eu o lamento mas, ao contrário da Carla Luis, conheci bastante gente que votou em Berlusconi e que são seus apoiantes a um ponto (quase) fanático. Não me esqueço por exemplo da mega manifestação convocada pela “Forza Itália” que vi ocorrer em Roma a 2 de Dezembro de 2006, pouquíssimo tempo depois da eleição de Prodi, e que juntou dois milhões (!!!) de apoiantes de Berlusconi a reclamarem logo ali pela demissão do na altura recém-eleito (por un pelo…) presidente do governo, Romano Prodi. Em Itália é assim, à la destra… E também eu conheci imensa gente (com a qual me identificava mais) que se envergonhava de Berlusconi. Mas dizer que quem vota em Berlusconi não o assume publicamente pura e simplesmente não faz sentido, cara Carla. É minha convicção inclusivamente que a maioria dos italianos é mesmo de direita, e não apenas de centro-direita. E os resultados desta eleição aí estão para fazer da minha observação uma “verdade de La Palisse”, como diria o idiota do Santana Lopes. E a razão de isso acontecer não tem nada de mistério nem sequer de original na história, chama-se apenas de “comunicação social” que por acaso Berlusconi controla largamente, não por influência indirecta, mas porque é dono, possui ! Ver a máquina de propaganda televisiva de Berlusconi a funcionar é assustador, lembra os tempos idos do Duce. Em Itália é assim, são latinos no seu estado mais extremo, logo radicais, para o bom e para o mau… Só é pena é que, na minha opinião, somos muito mais parecidos com eles do que com nuestros hermanitos aqui ao lado que são muito mais simpáticos também…

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>