Por mais que tente, não consigo ser curto

Hoje foi dia de escrita. Textos em atraso.

Começa a ser regular esta necessidade de estabelecer “dias de escrita” e, por mais que me esforce e treine no Twitter, por exemplo, não consigo ser curto. Pensava eu que isso se devia a falta de disciplina, por ter, normalmente, um editor capaz e generoso, a jusante, mas hoje percebi que não é só isso, confrontado com a necessidade de encurtar um texto bem para lá daquilo que me parece possível. Em boa verdade, há um nível de poder de síntese (ou mais do que um?) que me escapa completamente e, se não começo a exercitar esse misterioso músculo, desconfio que terei vários dissabores num futuro muito mais próximo do que gostaria.

Sendo assim, prolixo e preguiçoso me confesso, apelando à ajuda de todos quantos possam ter sugestões de exercícios, rotinas ou referências bibliográficas para exercitar o poder de síntese até ao nível telegráfico. Preciso mesmo da vossa ajuda.

1 pensamento em “Por mais que tente, não consigo ser curto

  1. “Sinto necessidade de estabelecer “dias de escrita”, treino no Twitter, mas não consigo ser curto. Pensei que, com disciplina, conseguiria encurtar os textos, mas não é suficiente e, no entanto, preciso aprimorar tal escrita. Agradeço sugestões de exercícios ou bibliografia que me possam ajudar.”

    Acho que é difícil a quem escreve muito bem, escrever curto. O problema é que há um conjunto de palavras, que muitas vezes são desnecessárias, mas que amparam o texto, fazendo-o mais belo.
    Não tenho bibliografia, mas nesta página encontras como fazer um resumo, que te pode ajudar a desconstruir os teus textos:
    http://portuguesonline.no.sapo.pt/resumo.htm

    Um bom truque é pegares nos teus próprios textos e, a partir das indicações, fazeres resumos deles. Assim, deves começar a perceber que palavras/expressões “supérfluas” podes evitar. Outra possibilidade é olhares para as frases e veres como podes substituir palavras de forma a que elas fiquem mais curtas:
    - confrontado com a necessidade – tenho necessidade; é-me necessário – melhor: preciso

    Quando entrei em jornalismo tive este problema, com o espaço limitado há que recorrer às situações mais caricatas: cortar tudo o que está a mais para a compreensão daquilo que queremos dizer; mandar as “bengalas” às urtigas, substituir palavras compridas ou expressões por palavras curtas:
    ex: tenho necessidade – preciso (16 caracteres para 7)
    Se ainda assim não chegar, avaliar as ideias mais importantes e começar a cortar nas menos importantes.
    Aviso já: é duro, mas não é impossível.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>