jazz.pt | Sei Miguel: Esfíngico

Esfíngico, Sei Miguel (Clean Feed)
Esfíngico, Suite for a Jazz Combo, Sei Miguel

CLASSIFICAÇÃO: 2.5/5

A estreia de Sei Miguel na Clean Feed dá-se com a edição deste “Esfíngico”, com o subtítulo de “Suite for a Jazz Combo” e com a interpretação dum combo com várias particularidades, composto por alguns nomes ilustres da improvisação mais livre e/ou “menos idiomática”, dos quais se destaca eventualmente Rafael Toral, apesar da sua sensibilidade e das suas aproximações teóricas a uma certa ideia de jazz ou das suas estratégias.
Mas “Esfíngico”, com o rigor estrutural que se adivinha, não dependeria desta ou daquela ideia de instrumentação mas, de forma mais evidente, de métodos e estratégias interpretativas e possibilidades tímbricas que Sei Miguel reconhece no grupo que lidera.
Uma das principais características da música apresentada nesta suite, de resto, é a clareza estrutural e um certo contexto ou enquadramento quase académico que permite identificar os momentos, a lógica das sequências e as estratégias em uso (momentos de pergunta-resposta e/ou imitação, abordagens pontilhísticas nas marcações rítmicas, identificação de solistas, etc).
A capacidade interpretativa dos diferentes músicos, neste contexto, é, em alguns casos, surpreendente, principalmente pelo rigor e contenção que atravessam a totalidade do disco, assegurando a “pureza” composicional mas, eventualmente, diminuindo o risco ou, pelo menos, a organicidade final da obra. Apesar de intelectualmente estimulante, a realização do conceito pode resultar demasiado asséptica.
Ao nível interpretativo, o encontro entre Sei Miguel e Fala Mariam, cuja prestação me parece merecer um destaque pela positiva, resulta interessante e rica, e Rafael Toral, apesar da dificuldade inerente à integração de instrumentos puramente electrónicos com os sopros, domina a linguagem e a técnica a um nível que lhe permite interpretar e reagir de forma orgânica e natural. Pedro Lourenço e César Burago, pelo papel composicional que desempenham, mas também, aparentemente, por alguma dificuldade em encontrar os registos tímbricos mais adequados e uma possibilidade de fluidez de discurso, que seria um útil ponto de apoio para o ouvinte, considerando a complexidade das estruturas, prejudicam, em alguns momentos a fruição do disco, com destaque para o papel desempenhado por César Burago no 3º andamento (Pássaros).
De forma global, a escrita de Sei Miguel parece ser demasiado cerebral e, neste caso concreto, o disco oscila entre momentos de grande qualidade e interesse, onde alguns músicos afirmam ideias claras e/ou partilham em duo, com momentos de rigidez, espera e aparente hesitação, em que intervenções aparentemente gratuitas ou fortuitas prolongam paisagens relativamente desérticas.

Esfíngico, Suite for a Jazz Combo, Sei Miguel

Clean Feed, Lisboa 2010
Gravado em Lisboa, 2006

  • Sei Miguel pocket trumpet, composição e direcção
  • Fala Mariam trombone alto
  • Rafael Toral modulated resonance feedback circuit
  • Pedro Lourenço guitarra baixo
  • César Burago timbales e pequenas percussões
Texto escrito por João Martins. Depois de revisto e editado por Rui Eduardo Paes, foi publicado no nº 30 da revista jazz.pt. A publicação do texto neste blog tem como principal objectivo promover a revista: compre ou assine a jazz.pt.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>