jazz.pt | CHRIS LIGHTCAP’S BIGMOUTH, “DELUXE”

Chris Lightcap's Bigmouth (Clean Feed)

CHRIS LIGHTCAP’S BIGMOUTH, “DELUXE”

CLASSIFICAÇÃO: 3.5/5

Bigmouth é o título do segundo álbum do quarteto liderado pelo contrabaixista Chris Lightcap editado pela Fresh Sound New Talent, em 2003. Mantendo Tony Malaby e Gerald Cleaver e com Chris Cheek no lugar de Bill McHenry e Craig Taborn nos teclados, “Bigmouth” passa a ser nome do quinteto que agora edita Deluxe pela Clean Feed e apresenta 8 originais do contrabaixista originário da Pensilvânia e sediado em Nova Iorque. Temas alongados construídos sobre bases solidamente definidas e defendidas por Chris Lightcap, Craig Taborn e Gerald Cleaver, leves mas dinâmicas, nas quais se apresentam pequenos temas, quase orquestrais no arranjo dos sopros e onde se privilegia o posterior desenvolvimento dos solos dos 2 saxofonistas, em frequentes situações ora de diálogo ora de confronto— um com o outro ou mesmo com a estrutura do próprio tema, aparentemente—, sem que, ainda assim, seja evidente uma divisão entre secção rítmica e solistas, já que a estrutura base se mantém presente e rica, quer pela articulação do contrabaixo, quer pela expressão dos teclados ou pela variedade de abordagens e pontuações da bateria. O desenvolvimento fluído dos temas e a sobreposição dos solos, associados a uma certa característica “circular” da escrita de Lightcap ilude uma ideia de direcção clara e esse poderá ser o maior handicap do disco, repetindo-se mais do que uma vez a sensação de que ou o tema não vai a lado nenhum ou o tema se pode prolongar eternamente.
A Chris Cheek e Tony Malaby, com Andrew D’Angelo em 3 temas, cabe a tarefa de construir sobre estes “quasi-ostinatos” um discurso / diálogo / confronto que explora o seu potencial e demonstra a complementaridade de abordagens possíveis, na presença de músicos deste calibre. “Two-Face” é, eventualmente, a faixa que mais se afasta deste modelo, com Craig Taborn no piano a contribuir claramente para a desmontagem do alicerce inicial, em clara colaboração com os 2 saxofones e o grupo a divergir globalmente mais, mas mesmo neste tema, o fim é um regresso à estrutura inicial. Mais representativa da estratégia global do disco será a abertura “Platform” ou “Deluxe Version”, com esta segunda a dispôr de espaço para um solo de Craig Taborn, numa estrutura mais “convencional”, sem sobreposição de solos e duma leveza quase excessiva. “Fuzz”, a encerrar o disco, filia, eventualmente, este Deluxe nos férteis cruzamentos do jazz com um certo universo pop-rock, carregado de “groove” e com muita energia criativa.

CHRIS LIGHTCAP’S BIGMOUTH, “DELUXE”

Clean Feed, 2010
Gravado em Nova Iorque, 2008

  • Chris Lightcap contrabaixo
  • Chris Cheek sax tenor
  • Tony Malaby sax tenor
  • Craig Taborn piano e wurlitzer
  • Gerald Cleaver bateria
  • Andrew D’Angelo sax alto (convidado em 3 faixas)
Texto escrito por João Martins. Depois de revisto e editado por Rui Eduardo Paes, foi publicado no nº 31 da revista jazz.pt. A publicação do texto neste blog tem como principal objectivo promover a revista: compre ou assine a jazz.pt.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>