De que nos vale um lamento ministerial?

Ana Jorge, a Ministra da Saúde, lamenta “pessoalmente” o acordo celebrado entre a ADSE e o Hospital (privado) da Luz, por se tratar duma “oportunidade perdida” para investir no sector público. Eu, pessoalmente, também lamento e lamento ainda mais que, aparentemente, neste caso, o meu lamento valha tanto como o duma Ministra, ou seja, menos que nada. Diz a Ministra que essa é uma decisão sobre a qual se deve interrogar o seu colega das Finanças. Não poderia ela, na qualidade de Ministra, pedir os tais esclarecimentos a Teixeira dos Santos e, eventualmente, marcar uma posição ligeiramente mais veemente na defesa do sector público? É que esse investimento de dinheiros públicos em serviços públicos significa, entre outras coisas, uma melhor gestão dos recursos do Estado, objectivo atribuído, em tese, a Teixeira dos Santos, pelo que, entre colegas ministros, a coisa deveria ser fácil de esclarecer.

Com coisas destas, obrigam um tipo a passar por ingénuo para não ser mal-educado.