Realização pessoal instantânea?

Andas à procura duma forma instantânea de te sentires realizado, satisfeito contigo mesmo e com a auto-estima lá em cima? Pega numa vassoura e varre a praia de cotão que deixaste acumular debaixo da cama, ou vai tratar da pilha de louça suja que deixaste acumular na cozinha ou pega num pano e limpa a tua área de trabalho, passando a limpo e arrumando as notas que são para guardar e pondo no lixo os papéis amarrotados que deixaste acumular à tua volta. Ou pega numa daquelas coisas simples que tens para fazer, mas que foste adiando precisamente por ser simples e poder ser feita em qualquer altura e faz.

Os exemplos são vários e devem ser adaptados às necessidades reais do teu habitat pessoal e ao estado actual da tua auto-estima, mas actividades simples, muito objectivas, com impacto real a curtíssimo prazo, podem ter um impacto gigantesco num dia de menos entusiasmo e/ou num período de demasiada auto-complacência contra-produtiva.

Acima de tudo, não deixes as coisas chegarem ao ponto de teres que passar uma parte significativa da manhã em tarefas domésticas só para ficares de consciência tranquila. ;)

Nota para artigo futuro: implicações da gestão das tarefas domésticas na vida de quem trabalha em casa, com reflexão sobre as particularidades de casais em que ambos trabalham em casa.

Uma pequena sondagem sobre frigoríficos

Para perceber melhor o carácter provável ou improvável, frequente ou raro, do meu sofrimento deste fim de tarde, agradecia que me respondessem às seguintes questões:

  1. Quantas vezes mudaram de casa?
  2. Quantas vezes mudaram de frigorífico?
  3. Quantas vezes mudaram um frigorífico de casa?
  4. Quantas vezes tiveram que mudar o sentido de abertura da porta dum frigorífico?
  5. Quantas vezes é que, para vocês, mudar o sentido de abertura da porta do frigorífico foi desesperante?
  6. Quantas vezes é que (para quem já fez estas mudanças) sentiram que as tampinhas plásticas para disfarçar os parafusos são parte dum plano maquiavélico para nos endoidecer?
É que já nem me espanta que seja preciso inclinar perigosamente o frigorífico para começar a desmontar a porta por um estúpido parafuso virado para o chão… 4 mudanças de sentido de porta, em 2 frigoríficos, nos últimos anos, fazem de mim uma espécie de especialista (quase psicótico). E anseio por encontrar quem partilhe da minha angústia. Há alguém por aí?