Realização pessoal

Acabei hoje a pós-produção de Os Ossos de que é feita a Pedra, o audiowalk do Visões Úteis para a Cidade da Cultura da Galiza.

Amanhã será dia de voltar a ouvir tudo, calmamente. Acabar trabalhos desta dimensão deixa-me normalmente numa situação de “ressaca” e esta altura só é diferente porque não tenho grande tempo para pensar: O Anzol, a próxima produção do Visões, aproxima-se rapidamente.

Mas não posso deixar de dizer que me sinto bastante satisfeito com o trabalho que fiz. Não me levam a mal, pois não?