Cinderella Children

Através do Multimediazine, um dos blogs do Público, descobri Cinderella Children, um documentário rodado no Uganda sobre o trabalho duma australiana notável, responsável por um projecto de apoio a crianças órfãs num país devastado pela epidemia da SIDA e por décadas de Guerra Civil.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=dj6ZHnF1T1Y&fmt=18[/youtube]

O documentário é notável pela história que conta, mas também pela forma como foi produzido: uma única pessoa, Mathew Cliff, dirigiu, filmou e produziu, usando-se a si próprio como única equipa de áudio, vídeo e produção. A proeza é explicada em mais detalhe e com bastante modéstia aqui, mas, apesar da aparente facilidade que a qualidade dos meios tecnológicos actuais oferece é admirável. E o que o relato dele ensina a quem se interessar por documentários ou outras formas de registo em vídeo e/ou áudio é valioso. A mim, fez-me repensar algumas estratégias de “field recording” e recordar as peripécias nas produções dos audiowalks e em entrevistas durante a viagem da Orla do Bosque. Planear com antecedência e calma, usar soluções muito testadas e sólidas e prever os piores cenários é uma lição que aprendi à minha custa… e não consigo sequer imaginar o que será trabalhar nas condições que ele encontrou.