Concertos Promenade no Teatro Aveirense: uma óptima ideia

Os Concertos Promenade no Teatro Aveirense são da responsabilidade do Conservatório de Música de Aveiro Calouste Gulbenkian e ocorrem no primeiro domingo de cada mês, de manhã, tendo começado em Março. Hoje foi a segunda edição (o concerto de Abril coincidiria com o domingo de Páscoa) e eu lá estive, com a Maria e sua avó. Mesmo antes de ir, poderia dizer que esta é uma óptima ideia e é o tipo de iniciativas que contribui, de facto, para a afirmação dum Teatro Municipal. Trata-se de serviço público que enriquece todos os participantes:

  • os alunos do Conservatório têm uma experiência formativa fundamental, que é a apresentação em público do seu trabalho, num contexto diferente das audições de escola; e têm contacto com a estrutura profissional do teatro, aprendendo muito acerca de aspectos menos abordados na escola da sua (eventual) futura profissão
  • o Conservatório ganha um merecido espaço de visibilidade na cidade e exercita as suas capacidades de inserção e relação com o tecido cultural da cidade
  • o Teatro Aveirense ganha público, que poderá vir pela primeira vez para um evento desta natureza e, neste contacto, (re)construir uma relação com este equipamento e com a sua programação; todas as actividades de natureza cíclica / rotineira, têm também a vantagem de criar hábitos de consumo cultural e, na minha opinião, são os alicerces de qualquer coisa a que se possa chamar uma “corrente de público”
  • o Teatro Aveirense ocupa um novo lugar na rede de estruturas locais de produção e formação ao acolher uma iniciativa desta natureza e assumir as suas responsabilidades como parceiro público e institucional, representante da cidade, nesta rede local
  • o Teatro Aveirense assegura uma maior abrangência da sua própria lógica de programação ao delegar no Conservatório a programação destes eventos
  • o público assiste a concertos de música erudita em horários confortáveis para a família e a preços simbólicos

Em suma, a cidade ganha um espaço privilegiado de partilha, através da música, daquilo que é e daquilo que pode ser. Ao ouvirmos os estudantes do Conservatório, estamos não só a usufruir de boa música, mas também (espero) a lembramo-nos, enquanto comunidade, do extraordinário poder que a Educação e a Escola têm. E, se voltamos a acreditar na Escola e, também por isso, a investir nela o que é preciso, que não são só recursos financeiros, talvez encontremos um caminho para fora da crise.

Como vêm, um Concerto Promenade é tão bom que até deixam um tipo como eu a fazer discursos optimistas. ;)

Obrigado ao Conservatório de Música de Aveiro e ao Teatro Aveirense, mesmo que saibamos que não estão a fazer mais do que cumprir a sua missão de serviço público. ;)

Conservatório de Música de Aveiro de Calouste Gulbenkian online

visite o site do Conservatório de Música de Aveiro de Calouste Gulkbenkian

A entropiadesign foi convidada para encontrar uma solução adequada para o site do Conservatório de Música de Aveiro de Calouste Gulbenkian (onde estudei durante 6 anos). Os princípios base da intervenção passaram pela implementação de um sistema de gestão de conteúdos (CMS) intuitivo, flexível e eficaz, e pela criação de um template simples, mas eficaz, centrado na apresentação clara dos conteúdos relevantes

A escolha recaiu sobre o Joomla! que nos é bastante familiar e ao qual os professores responsáveis aderiram rapidamente. Configurámos igualmente as GoogleApps for Your Domain, por forma a ser mais fácil o contacto entre todos os professores, funcionários e alunos e a publicação e partilha de eventos através do Google Calendars.

Apesar do site estar ainda em fase clara de construção, a decisão de o colocar online foi tomada ontem com o claro objectivo de motivar a adesão de um maior número de colaboradores para a equipa editorial. Uma estratégia que permitirá igualmente a recolha de opiniões, sugestões e críticas quase transformando esta versão num lançamento “alpha”.

O processo de construção de uma solução completa para uma instituição deste tipo e com as limitações próprias de não ter ninguém especializado em Tecnologias de Informação ou sequer funções atribuídas nesta área, contando apenas com a boa vontade e disponibilidade para aprender de alguns dos seus professores ensina muita coisa acerca da importância vital de se ser pragmático.