Meia Maratona

No passado fim de semana, corri a Meia Maratona Sport Zone, no Porto. Demorei 2 horas e 56 segundos para completar os 21,095Kms. Fiquei a 57 segundos do meu objectivo para esta segunda experiência na distância, mas foi uma corrida muito agradável, em que me senti mais confortável e controlado. O discernimento de dizer adeus à família, para a fotografia junto à linha da meta, ilustra isso mesmo, acho eu.

Meia Maratona Sport Zone Porto

Em Março deste ano, na primeira experiência de Meia Maratona— antes disto as distâncias maiores que tinha feito foram os 10Km da S. Silvestre 2010, no Porto ou da Corrida de Reis 2011, em Gaia—, fui traído pelo calor e pela inexperiência e, apesar de também ter gostado, as 2 horas e 4 minutos de Lisboa, foram bastante mais sofridas, como a fotografia final também ilustra.

Meia Maratona EDP Lisboa

Ainda este ano, planeio correr mais uma Meia Maratona (a de Ovar) e, se me continuar a sentir bem, fazer a primeira abordagem à Maratona, no Porto.

Corro para quê? Já expliquei aqui.

Nota breve sobre a minha evolução nesta actividade:

  • Corrida Cidade de Aveiro Sport Zone, 1 de Junho de 2008
    10Km @ 1h05m
  • São Silvestre Cidade do Porto 2010, 26 de Dezembro 2010
    10Km @ 59m12s
  • Corrida dos Reis, Vila Nova de Gaia, 9 de Janeiro 2011
    10Km @ 52m49s
  • Meia Maratona EDP, Lisboa, 20 de Março 2011
    21.195Km @ 2h04m04s
  • Meia Maratona Sport Zone, Porto, 18 de Setembro 2011
    21.095Km @ 2h00m56s

Tragicomédia clássica, aqui e agora

Saiu de casa para uma corridinha para espairecer, numa terra que lhe era menos familiar do que ele gostaria de admitir. Uma decisão irreflectida no percurso, associada à teimosia que lhe era característica, acrescentou meia hora de sofrimento em subidas e descidas angustiantes em locais que não reconhecia e numa geografia que desafiava as referências que lhe pareciam óbvias. Era só uma corridinha e acabou por reencontrar o caminho para casa, mais cansado e dorido do que alguma vez admitiria e com um sério abalo no ego. O reencontro com a filha curou-lhe algumas feridas, apesar da sua insistência em correr mais um bocadinho com o pai. 30 ou 40 metros, de mão dada com a criança de 3 anos, com as pernas já dormentes, mas em paz. Um pouco depois, regressou a casa a mulher, com quem partilhou uma versão suave da sua aventura e pôs-se no banho.

Nunca se saberá do grau de intencionalidade da escolha da camisola que vestiu depois. Ao jantar, lia-se no seu peito: “Hercules”.

Uma nova filosofia de vida

Não sei se é mesmo uma “nova filosofia de vida”, mas há dias em que parece que sim. Decidi começar a correr atrás dos meus objectivos. Literalmente. Corro. Farto-me de correr. Uso a corrida como estratégia de organização mental em função das coisas que quero realmente fazer.

Ainda nada mudou radicalmente na minha vida, desde que comecei a fazer isto, mas ainda só corri 230 quilómetros desde que tomei esta decisão, em meados de Outubro. Suponho que os meus objectivos, mesmo os mais modestos, estejam um bocado mais longe do que isso. É justo.

Eu consegui!

Apesar desta não ser a melhor altura (as primeiras noites dum pai estreante não são fáceis), achei boa ideia experimentar correr os 10 km da Corrida Cidade de Aveiro por várias razões, das quais se destaca achar que as manifestações desportivas não-futebolísticas merecem todo o apoio. Escolhi os 10 km, em vez dos 5 km, porque me queria testar um bocadito e tenho uma costela masoquista para exercitar. O objectivo era terminar a prova e consegui!

Eu no fim da Corrida Cidade de Aveiro, fotografia do João Oliveira

Ser o último a terminar (não faço ideia quantas pessoas começaram a prova) acabou por ser extremamente divertido, porque tive escolta duma mota da BT nos últimos quilómetros, o que me fez sentir como o nosso primeiro-ministro quando vai ao jogging. ;)
Gostei bastante da experiência e vou começar a pensar em fazer isto com mais frequência. E mais depressa, também.

Um obrigado especial ao João Oliveira, em cujo blog vi a referência à corrida e que me fotografou na meta, meia hora depois de ter terminado os seus 5 km.

Acho que, mais uma vez se provou que Aveiro devia ter um calendário mais preenchido de eventos deste tipo (atletismo, ciclismo, triatlo…).