Carta aberta ao director do Diário Regional de Aveiro

cc: Jornal O Aveiro, Lusomundo Cinemas, Cineclube de Aveiro

Ex.mo Sr. Adriano Callé Lucas:

No passado dia 22 de Junho de 2007 enviei para vários órgãos locais de comunicação social a transcrição de um artigo do meu blog acerca das condições de exibição de cinema na cidade de Aveiro, referindo, nomeadamente, problemas na sala 4 do complexo da Lusomundo Cinemas no Forum Aveiro.

Esse artigo teve seguimento neste mesmo blog, através da publicação de uma réplica do Cineclube de Aveiro, também visado no artigo original e duma outra da Lusomundo Cinemas, logo no dia seguinte e, aproximadamente um mês depois, através da notícia de que o problema da Sala 4 estaria resolvido, notícia essa que me me foi dada pelo director-geral da Lusomundo Cinemas.

A publicação do referido artigo de 21 de Junho no semanário O Aveiro, poucas semanas depois, sem que algum contacto tivesse sido feito nesse sentido por parte da redacção e sem a publicação das réplicas disponíveis à data, pareceu-me estranha, mas poderia a redacção de O Aveiro ter encarado a minha comunicação como uma “carta ao director” e, nesse sentido, a publicação não seria abusiva, apesar de se justificar, na altura, a indicação do endereço do blog, referência que O Aveiro decidiu omitir e que permitiria aos leitores a consulta das réplicas.

O que não se percebe, de forma nenhuma, é que um jornal diário com forte implantação e projecção local— como é o que V. Ex.cia dirige— publique este mesmo artigo, 6 semanas depois e sem nenhum contacto prévio com o autor e sem sequer referir a sua data original! Nem que fosse porque o artigo, com o seguimento de que foi alvo no blog, deixou de ter qualquer sentido ou relevância.

Percebo que o preenchimento das páginas dum diário local nos meses de Verão seja difícil e percebo até que estamos na chamada “silly season”, mas creio que a publicação feita hoje não serve os interesses de ninguém. Pelo contrário: tem um elevado custo na credibilidade do jornal e da minha pessoa como autor do artigo e na imagem da Lusomundo Cinemas, que fez um esforço notável (e reconhecido no blog, mas não no jornal), para corrigir a situação denunciada.

A consulta do blog e dos comentários ao artigo original ter-lhe-iam poupado (e a mim, também) este embaraço duplo: a publicação de um artigo que já tinha estado nas páginas de um outro jornal local várias semanas antes e que, ainda por cima, estava já ultrapassado pelos factos.

Estou certo de que encontrará a melhor forma de dar a volta a esses embaraços. Eu, da minha parte, aprendi a lição: nunca voltarei a enviar textos para nenhum órgão de comunicação social confiando na capacidade dos seus profissionais fazerem o que lhes compete. Adicionarei os termos de utilização do texto enviado e, quem sabe, uma declaração com “termos de responsabilidade” para evitar complicações posteriores.

Despeço-me com os melhores cumprimentos,

João Martins

Let’s go to the movies!

Lembram-se das minhas queixas acerca das condições de exibição de cinema em Aveiro e das respostas recebidas?

Pois hoje é dia de boas notícias para os cinéfilos cá da terra (e chegaram-me por e-mail):

Exmo. Sr.:
O ecrã da sala já encontra em excelentes condições.

Cumprimentos

Luis R Mota
Lusomundo Cinemas
Director Geral / Managing Director

Que bela sensação de dever cumprido…

Nota importante: a publicação do meu primeiro artigo acerca deste assunto nas páginas d’O Aveiro não foi da minha responsabilidade. O artigo foi enviado por e-mail para esse e para outros órgãos de comunicação social (local e nacional), para lhes dar conhecimento. A direcção d’O Aveiro decidiu, sem me consultar, proceder à sua publicação ipsis verbis numa secção destacada do semanário e sem referência à origem (blog ou e-mail), privando os leitores do acompanhamento que o assunto mereceu no blog. Não levei isso a mal, mas achei estranho… mas sobre esse episódio e sobre o funcionamento dos jornais locais em geral tenho um artigo em banho maria já há algum tempo.