iPhone em Portugal pela Vodafone

O Pedro Aniceto chama a atenção para o anúncio da Vodafone, mas a questão do “quando” permanece. “Later this year” será exactamente o quê?

Eu continuo sem saber exactamente o que pensar do iPhone, se querem que vos diga. Mas, se pensar no meu quotidiano e no tipo de uso que dou ao meu telemóvel, aos computadores e até ao iPod que me foi oferecido nos anos :) , não sei mesmo o que faria com um gadget daquele tipo. Não me faz falta nenhuma das suas funções, mas, bem sei que essa não é a primeira questão que passa pela cabeça de quem o deseja e foi por isso mesmo que foi assim concebido.

Mas,

Recognizing the need is the primary condition for design.

Foi Charles Eames que o disse e se o for repetindo regularmente talvez evite pensar muito nisto. ;)

How little is too little?

Comparação de tamanhos dos écrãs dos novos iPods

A última aparição do Steve Jobs, como toda a gente sabe, foi para apresentar novos iPods e uma nova versão do iTunes. Estas apresentações, com o pano de fundo dos gritinhos e das palmas a despropósito envergonham-me sempre um bocado, como Mac User que sou, mas sigo-as com alguma atenção. Neste últimos caso houve 2 coisas em particular que me irritaram:

o início em que o Steve Jobs diz que vai falar sobre música e o entusiasmo de todos os presentes com o vídeo no novo nano, cujo mote é “a little video for everyone”.
Se há coisa que é verdade é que este nano é “little”, mas qual é o interesse real de fazer o écrã com a maior resolução que a Apple alguma vez usou (204ppi) se aquilo tem 4cm x 3cm? Alguém vê vídeo numa superfície desse tamanho?

How little is too little?

PS: Já os 160GB do iPod classic… isso sim parece ter alguma utilidade.

Schmap Guides disponíveis para Mac users

Quando algumas das minhas fotografias de Parma foram seleccionadas para um guia interactivo, apesar de algum orgulho, chateou-me que o software em causa não funcionasse em Mac’s e recebi a promessa dos editores que a correcção dessa situação fazia parte dos planos deles para um futuro breve.

Tardou, mas aconteceu: os Schmap Guides já funcionam correctamente (lembrem-se que é uma beta) em Mac OS X, na versão online e desktop.

O guia de Parma só está disponível na versão desktop, por isso, foi esse que testei primeiro e é (com) esse que (me) exibo:

Schmap Guide de Parma, com fotografias minhas sublinhadas

O conceito é interessante e muito “web 2.0″: em vez de criarem conteúdos, procuram-nos onde eles existem, pedem autorização aos autores e fazem uma espécie de agregador de informação turística (mapas, textos, fotografias), que acaba por funcionar como guia.

Ainda o Skitch

Espero não me especializar nisto, mas depois do comentário da Maria João Valente à minha wishlist de funcionalidades para o Skitch, como sabia como é que se pode mudar o estilo do texto (só o alinhamento é que não), decidi usar o próprio Skitch para mostrar como e, ao fazê-lo, apercebi-me que é possível fazer o “crop” da imagem (seja para retirar partes, seja para acrescentar área livre):

Skitch: crop e estilos de texto

 Assim, fica resolvido (porque já estava) um dos meus desejos (o crop) e um dos da Maria João Valente (os estilos de texto):

  • clicar e arrastar nas margens para o crop
  • edit > show fonts (option+t) para alterar o tamanho, tipo e estilo, com a possibilidade de retirar o contorno e/ou a sombra ou reverter para o estilo Skitch

Há mais dúvidas ou dicas, por aí? Ou dúvidas que se transformem em dicas? ;)

Skitch extended…

Skitch + Paparazzi = ??No meio de toda esta agitação à volta do Skitch, fui pensando em funcionalidades que podiam melhorar a aplicação e ser úteis em alguns cenários específicos. Uma dessas funcionalidades seria a captura duma página web completa, independentemente da área visível num monitor, para analisar elementos de interface, áreas de maior ou menor destaque, etc.
Essa possibilidade poderia tornar o Skitch numa ferramenta bastante útil para fazer análise de interfaces, por exemplo, anotando a totalidade da página/layout graficamente.

Curiosamente, andava a pensar nisto e tropecei nesta apresentação do Paparazzi!, feita pela Paula Simões, no Blog do Felisberto. O Paparazzi! permite a captura como imagem duma página web, independentemente da área visível no monitor: insere-se o endereço a capturar, a área mínima e pode até refazer-se o enquadramento e programar um atraso, para que a captura seja feita alguns segundos depois da página carregar (útil se houver animações ou coisas assim).

Juntos, o Skitch e o Paparazzi! complementam-se de formas bem interessantes.

Outras coisas que eu gostava de ver no Skitch eram:

  • possibilidade de fazer um zoom a algumas áreas da imagem
  • possibilidade de fazer cortes parciais e juntar áreas distintas, talvez pela utilização de layers
    exemplo: captura de janela da aplicação, omissão do “miolo” e exibição das ferramentas/menus todas juntas
  • ampliação da área de trabalho para anotações não sobrepostas

Era giro, não era?

(não me chateiem com o óbvio: eu sei que com todas estas coisas, o que eu estou a descrever mais parece uma ferramenta completa de edição bitmap— Photoshop, Gimp, Fireworks…— com um interface mais “giro” e a integração de screenshot e de exportação/partilha web)

Hold your horses!

pt
Já distribuí 90 dos 100 convites que faziam parte da bonanza. Uns por aqui, outros por subscritores da ML “O Correio dos Outros”. Vou fazer uma pausa neste processo, para me certificar que há algum equilíbrio na distribuição destes últimos 10 convites.

Por isso é que fechei os comentários na bonanza e no concurso.

Mantenham-se atentos.

(no entretanto, os 90 novos utilizadores têm, cada um, pelo menos 2 convites, por isso…)

en
I’ve already sent 90 of the 100 bonanza invites, Some through the blog, some to subscribers of an amazing portuguese Mac users list. I’ll take a break to make sure that there’s some balance in how these last 10 invites go.
That’s why I closed the comments at bonanza and at the contest.

Keep tuned.

(in the meantime, each of the 90 new users has, at leat 2 invites each, so…)