Que fim de semana!

O que aprendi este fim-de-semana demorará bastante tempo a digerir e passará sem dúvida a fazer parte das minhas rotinas criativas e dos meus hábitos.

Com tempo, tentarei ir escrevendo acerca das possibilidades que ferramentas como o Max/MSP e o Pure Data apresentam, para as mais variadas aplicações: criativas, pedagógicas, lúdicas…

Mas, para terem uma ideia do entusiasmo com que fiquei, saibam apenas que, mesmo cansado, ao chegar a casa, a primeira coisa que fiz foi pedir ajuda aos conhecimentos matemáticos dos meus pais para desmontar uma simples, mas impressionante função: [mtof] – midi to frequency.

mtof - midi to ferquency: a função em Pure Data e Max/MSP e a sua desmontagem matemática

Porquê?
Porque sim, porque tenho algumas ideias sobre a utilidade de aplicar funções avançadas de normalização nestas conversões e porque será assim, espreitando debaixo do “capô”, que hei-de ir avançando nas “minhas” coisas.

Obrigado ao Miguel Cardoso pelo óptimo trabalho a preparar e dirigir o workshop e ao Maus Hábitos por criar as condições para que ele acontecesse.

Agora só preciso de tempo para apresentar resultados.

Max/MSP e PureData: uma oficina

As minhas abordagens ao Max/MSP e ao Pure Data foram sempre tímidas, desajeitadas e fracassadas. Por um lado, acho a ideia de aprender a trabalhar com uma plataforma destas extraordinariamente aliciante, mas é-me muitíssimo difícil quebrar a barreira inicial.
Deixo-me intimidar por este aspecto pouco “musical” e muito “geeky”, por exemplo.

 

Um patch em Pure Data, muito básico

Mas uma reaproximação era inadiável e é por isso que vou passar este fim de semana numa Oficina do Maus Hábitos:

MAX/MSP, PURE DATA (PD)
Orientador: Miguel Cardoso
23 e 24 de Fevereiro – sáb, dom
12h às 13.30h e das 14.30h às 20h
Duração: 14h

Pure Data (PD) e Max/Msp são aplicações com uma linguagem gráfica de programação em tempo real, bastante fácil de utilizar, para a criação de objectos interactivos. Pure Data é muito utilizado para processamento de som e video, conectar sensores, comunicar com aplicações na internet.
Iremos ver exemplos de instalações e aplicações desenvolvidas com PD, conhecer a vasta comunidade PureData, aprender os termos e conceitos desta linguagem, os princípios básicos de manipulação e sintese de som e imagem, e exploraremos os nossos conhecimentos com exercícios criando patches (Objectos de controlo de video, som, interfaces físicos (sensores).
Esta workshop é uma oportunidade para aprender os princípios básicos desta ferramenta.

O meu objectivo pessoal é ser capaz de fazer coisas mais interessantes do que esta “Chaos Machine”, que mostro aqui.

Nota: tinha anexado um exemplo do áudio produzido pelo patch ilustrado acima, mas foi retirado por razões técnicas.