O Correio da Manhã explica

Para quem tenha ficado com dúvidas acerca da atitude de distanciamento da UNESCO relativamente à eleição das 7 Novas Maravilhas mesmo depois de ver a lista de nomeados, finalistas e “vencedores”, o Correio da Manhã resolve tudo na sua 3ª página de hoje. Excluindo as fotografias, republico aqui (sem autorização), o texto que esta publicação de referência dedica às novas 7 maravilhas. Mais explícito é difícil:

9639 EUROS PARA VER TODAS AS ‘MARAVILHAS’

O preço total para visitar todas as ‘Novas Sete Maravilhas do Mundo’ pode ascender aos 9639 euros, mas tudo dependerá do tipo de viagem, da época escolhida e do número de pessoas. Uma viagem com tudo incluído e com excursões pagas à parte pode ficar mais barata do que um circuito, no qual se têm de pagar todas as refeições e bebidas. Viajar sozinho também é, normalmente, mais caro porque as agências de viagens e hotéis obrigam ao pagamento de um suplemento especial. As deslocações em época alta, isto é, em Julho e Agosto, também são, em regra, mais caras do que no resto ano.

(Todos os preços são em quarto duplo e não incluem taxas ou suplementos cobrados pelas agências de viagens ou companhias aéreas.)

ITÁLIA/ROMA
2 noites
Hotel Park Amaranto (três estrelas)
Regime de alojamento e pequeno-almoço
264 euros

BRASIL/R. JANEIRO
Cristo Redentor
Miramar Palace Hotel (4 estrelas) em regime de alojamento e pequeno-almoço
1313 euros

JORDÂNIA
Circuito incluindo Petra
7 noites em regime de alojamento e pequeno-almoço
Hotéis turística
1260 euros

PERU
Circuito incluindo Machu Pichu
10 noites em regime de alojamento e pequeno-almoço
Hotéis turística superior
2271 euros

ÍNDIA
Circuito incluindo Taj Mahal
9 noites em regime de alojamento e pequeno-almoço
hotéis de categoria B
1292 euros

MÉXICO/RIVIERA MAIA
Excursão a Chichén Itzá paga à parte no local
7 noites em regime de tudo incluído
Hotel Riu Lupita (cinco estrelas)
1169 euros

CHINA
Circuito incluindo Grande Muralha
9 noites em regime de alojamento e pequeno-almoço
Hotéis de 1.ª categoria
2070 euros

Obrigado, Correio da Manhã.