Um questionário para quem faz websites

I Took the 2008 Survey for People Who Make Websites, by A List ApartAcaba no próximo dia 26 o prazo para responder ao Inquérito promovido pelo webzine A List Apart que procura, todos os anos, recolher mais informação sobre as pessoas envolvidas na criação de websites.

Parte das perguntas reflecte um panorama profissional que não é o nosso (a distinção minuciosa de cargos e competências não é algo que faça parte do meu quotidiano) e mesmo considerando que o trabalho que ainda faço como web designer se vai reduzindo e não é a parte mais significativa dos meus planos para o futuro, achei importante participar, para que a amostra seja tão completa e representativa quanto possível.

Por isso, cá fica o aviso: se achar que também deve participar, lembre-se que só tem até ao dia 26 de Agosto.

Precisa dum inquérito online? LimeSurvey, sem dúvida!

 

LimeSurvey: uma aplicação open-source para a construção de questionários on-line extraordinária

Não é propriamente uma necessidade quotidiana, mas já por várias vezes fui abordado para dar conselhos ou apoiar a construção de vários tipos de inquéritos ou questionários on-line e, pela quantidade de vezes que sou solicitado para responder a alguns, parece-me que são ferramentas para levar a sério.

Entre outras coisas, porque um questionário online bem construído pode ser uma poderosa ferramenta de análise de mercado, uma boa base para um estudo de opinião ou um simples indicador estatístico, com uma população alvo vasta e custos de implementação substancialmente reduzidos.

Ser bem construído significa, por exemplo, ter possibilidades de gerar convites, validar respostas, permitir interrupções no preenchimento guardando o que já se fez, criar percursos condicionais, ordenar aleatoriamente hipóteses de resposta-múltipla para evitar distorções, exportar os dados em formatos fáceis de analisar em ferramentas específicas de estatística… e muitas coisas mais que vou aprendendo à medida que acompanho o trabalho de quem pensa nestes assuntos.

O meu companheiro nestes contextos é o LimeSurvey que não cansa de me surpreender por ser tão completo, tão bem pensado e implementado, tão equilibrado em termos de facilidade de utilização e flexibilidade. De tal forma parece ter tudo, estar preparado para tudo e permitir tudo que hoje perdemos algum tempo por presumirmos que teria uma função que, de facto, não tem: gerar ou seleccionar perguntas aleatoriamente de um conjunto pré-determinado. Pelo menos, não duma forma que permita guardar simultaneamente a pergunta e a resposta.
Para que tipo de questionário é que isso é útil seria difícil de explicar, neste momento, mas a verdade é que, sendo uma funcionalidade que eles reconhecem que poderá vir a ser implementada no futuro, para já, não existe.
E, provavelmente, não existe out-of-the-box na esmagadora maioria das aplicações do género, mas confiava de tal forma na aplicação que presumi que seriam favas contadas.

Ainda assim, a verdade é que, depois de perceber e aceitar que a solução mais elegante não estava disponível, encontrei um “dispositivo” que serve os propósitos do inquérito, não estraga nada e permite recolher a informação tal e qual se pretendia: um grupo de perguntas de controlo, com elementos aleatórios gerados por JavaScript e condições resultantes dessas respostas a determinar o passo seguinte, acrescenta uns cliques, mas resolve o problema.

Depois de “dobrar este cabo”, não tenho receio nenhum em recomendar vivamente o LimeSurvey a quem quer que precise de criar e/ou manter um questionário on-line para as mais variadas funções. Aliás, era óptimo se muitos questionários que recebo na caixa de correio fossem feitos por recurso a uma ferramenta deste tipo: as vantagens para quem responde são tão grandes como as para quem desenvolve.

Para mim, é um achado!

Questionário em www.pai.pt

Sou um utilizador assíduo das Páginas Amarelas na Internet, pelo que acedi, com naturalidade a responder a um Inquérito que estão a promover.

Mas há coisas que não parecem muito bem pensadas:

  • o questionário é muito longo e não dá uma indicação de progressão ou indicação do número total de perguntas
  • algumas perguntas não estão muito claras na formulação
  • há demasiadas perguntas com números de opções ímpares e a opção “neutro” (vejam isto para perceber porque é que isso é mau)
  • e a parte surreal: o fim do questionário assume que trabalhamos numa empresa belga…

Coisa estranha no questionário das Páginas Amarelas