Férias marcadas

Na próxima segunda-feira, dia 20, parto de férias em família. Férias bem merecidas e necessárias num sítio que não nos podia ter recebido melhor: “precisamos de vos avisar que, uma vez que só temos energia por recurso a painéis solares, há algumas restrições na utilização de aparelhos eléctricos”.

Para gente como nós, isto sim, são férias.

Depois, poderei partilhar convosco o destino e algumas impressões pertinentes. Mas também pode acontecer que o sítio seja um daqueles bom demais para partilhar. Se assim for, azar. Quem precisar mesmo, mesmo muito e me conheça suficientemente bem, sabe sempre o que tem a fazer para aceder a esta informação.

Mesmo no fim destas férias, no dia 25, encontro-me com o Henrique, o Gustavo e o Luís em Lisboa, para um concerto de Lost Gorbachevs na ZDB, em Lisboa. Para voltar ao mundo real com um “estrondo”. ;) E volto ao Porto para as comemorações do Dia Mundial da Música (1) (2) que, este ano, envolvem a Casa da Música e esse mega centro de produção musical portuense que é o Centro Comercial Stop.

Mas sobre isso e outros projectos próximos, ainda vou dizer mais qualquer coisa.

Parabéns à ZDB, nesta data apreensiva

A ZDB celebra hoje o seu 13º aniversário. Parabéns!
Mas como dizem no comunicado “a falta de apoio estatal e municipal num país em que a iniciativa civil é quase nula faz com que este aniversário não seja altura para festejos, mas para reflectir sobre o que é o associativismo, o mecenato, os apoios e a acção cultural.

Cá está o comunicado:

COMUNICADO ZDB

Hoje a ZDB faz 13 anos.

4748 dias de dinamização cultural independente.

Num país em que a cultura é desprezada, mesmo por aqueles que se propõem a promovê-la, a ZDB tem suportado criadores e criações, mesmo em ocasiões em que tudo parece ruir.

Actualmente a nossa actividade destaca-se no âmbito das artes visuais (produção, curadoria e apresentação); do serviço educativo; de co-produções e programação no âmbito das artes performativas (a implementação do NEGÓCIO e todas as residências de criação); bem como no crescimento e afirmação no tecido cultural do país da ZDBmüzique (que apresenta anualmente uma média de 200 espectáculos).

Focada tanto na miscigenação de plataformas como no sublinhar das possibilidades singulares de cada meio de expressão artística, a ZDB procura de modo plural, dar espaço e condições a manifestações criativas e gerar uma aproximação e cruzamento entre diferentes públicos das diferentes áreas.

Ao longo destes anos a ZDB tem fidelizado, aumentado e criado novos públicos.

No último ano registaram-se 18.160 entradas para as 554 actividades públicas promovidas.

Apesar deste crescimento, do amplo reconhecimento enquanto plataforma basilar por parte da comunidade artística e do público, a ZDB depara-se constantemente com as mesmas dificuldades:

A ZDB é subfinanciada. Recebe apenas por parte do Ministério da Cultura um apoio correspondente a um terço do seu orçamento geral, que não chega sequer para a cobrir os honorários dos seus colaboradores, muito menos para sustentar 2800 m2 e uma estrutura de criação e de programação que promove em média 550 eventos anuais.

Os restantes dois terços do orçamento geral da ZDB são gerados pela Associação, através da sua actividade, de prestação de serviços e digressão de programação para outros centros, de doações de sócios, e outras colaborações internacionais com diversos parceiros na área da música, artes performativas e artes visuais.

Apesar dos seus 13 anos de existência como estrutura transdisciplinar de criação, produção, difusão, organização de residências e festivais, receamos que o novo programa para a cultura não contemple inequivocamente um financiamento à medida e um contexto onde a ZDB se enquadre de forma simples e segura.

A falta de apoio estatal e municipal num país em que a iniciativa civil é quase nula faz com que este aniversário não seja altura para festejos, mas para reflectir sobre o que é o associativismo, o mecenato, os apoios e a acção cultural.

Obrigada a parceiros, sócios, público e criadores.

Parabéns a nós e a alguns de vocês.